5 de out de 2007

Haker/Craker

Cracker e Hacker: experts trabalhando em sentidos opostos
Os termos hacker e cracker se parecem muito e são comumente confundidos por aqueles que não dominam com perfeição o vocabulário particular ao mundo da informática. Na verdade, hackers e crackers são experts em computadores, pessoas que possuem habilidades extraordinárias em lidar com sistemas e programações, e que dedicam muito tempo de suas vidas a fim de estudar tais conteúdos. O que os difere é o uso que fazem destes conhecimentos.

Leia tudo



    A palavra hacker, em sua tradução literal significa cortador. Esta tradução pode adquirir sentido se pensarmos em algo como cortar ou derrubar barreiras. Porém, o uso e entendimento mais comum (e, portanto, leigo) desta palavra traduzem uma associação entre hacker e pirata digital, vândalo, invasor e etc. De acordo com Pedro Rezende, professor de informática da Universidade de Brasília, hackear é esmiuçar, o que não pressupõe condição para piratear, vandalizar ou vender serviços criminosos.

    Para tal conduta existem termos estritamente apropriados, como lamer ou cracker. Ainda de acordo com Rezende, hackers não podem ser considerados coletivamente como criminosos, já que muitos deles trabalham em colaboração com desenvolvedores de software, em uma ação que visa eliminar possíveis falhas de segurança nestas ferramentas. Os hackers são considerados também os principais responsáveis pelo desenvolvimento da internet e dos softwares livres (o Linux é uma criação hacker!).

    Cracker, de acordo com o significado originalmente cunhado ao termo, designa sim, elementos mal intencionados, que estudam e decodificam programas e linguagens a fim de causar danos a computadores alheios. A intenção é invadir e sabotar sistemas, quase sempre objetivando a captação de dados passíveis de render cifras. Ou seja, roubo eletrônico, estelionato ou o que quer que seja. A intenção é definitivamente ruim.


    Existem ainda diversas subdivisões para o termo cracker: cader, especialistas em fraudar cartões de crédito; defacer, indivíduo que desfigura as páginas principais de sites; e outros muitos, que expostos aqui só serviriam ao fomento da confusão entre os termos prioritariamente discutidos. Vale lembrar novamente a diferença entre bons e maus: hackers do bem, crackers do mau.



    O que existe e acontece comumente é a confusão entre o sentido das palavras hacker e cracker, confusão esta criada pelo uso informal da língua. E, sabemos, a língua é quem faz o dicionário. Dificilmente esta situação será revertida, em vista da publicação de termos errôneos pela mídia não especializada, porém de massas. Cientes desta condição, os verdadeiros e originais hackers (lembremos, pessoas do bem, interessadas no desenvolvimento e liberação das tecnologias) arranjaram um outro termo para identificá-los: agora são geeks!

    Texto retirado de : Sisnema

Nenhum comentário:

Postar um comentário

A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste blog reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.


Copyright © Templates e Acessórios |
Design by Elke di Barros | Tecnologia do Blogger
    Twitter Facebook Google + YouTube